segunda-feira, setembro 27, 2010

SOBRE O DRAGÃO CHINÊS


O dragão desempenha um papel significativo na cultura chinesa. Os antigos acreditavam ser o dragão um descendente dos deuses, com poder para governar o cosmo em sua totalidade – céu e terra. Essa idéia de poder e totalidade também está presente na astrologia chinesa; onde o dragão é o único dos 12 animais cuja natureza seria espiritual e mística. O dragão, representando vida longa e prosperidade, foi geralmente associado ao poder do imperador chinês.

Sorte - Apesar de encarado como uma entidade benfazeja, o dragão, se ofendido, poderia causar desastres naturais ou eclipses solares. Para manter os dragões satisfeitos, os chineses preparavam grandes festivais pedindo por paz e riqueza. A dança do dragão, um antigo ritual de ano novo, é realizada para afastar os maus espíritos e chamar riqueza.

Perfil - Segundo as lendas, os dragões são feitos de partes de diferentes tipos de animais como a cobra, a carpa, o camelo, o cervo, o coelho, o touro, o leão, a rã, o tigre e a águia. As 9 características que identificam o dragão chinês são facilmente observáveis – corpo de serpente, cabeça semelhante à de um camelo, chifres de cervo, olhos de coelho, boca de leão, barriga de rã, escamas de carpa, patas de tigre e garras de águia. O número 9 tem grande importância na cultura chinesa. Ele possui, ainda, um par de dentes caninos longos, feitos para tatear o fundo dos lagos que freqüenta.

Fósseis – Muitos afirmam que a figura do dragão tem sua origem nos fósseis, coletados na China a pelo menos 4.000 anos. Consideravam-se ossos de dragão os restos de dinossauros e outros répteis pré-históricos. Presas de mamutes da Era Glacial eram vistos como dentes de dragões gigantescos. Ainda hoje, há quem acredite que esses “ossos e dentes de dragões” curam doenças.

Escamas e garras - Os dragões da tradição oriental possuem 117 escamas, 81 de polaridade Yang e 36 de polaridade Yin; isso determina seu caráter; Além disso, o número de garras é determinante das tradições de onde eles são oriundos: dragões com cinco garras são chineses, com quatro são coreanos ou indonésios e com três, japoneses. Os dragões de cinco garras simbolizam o poder e, na China, recebem o nome de “dragões imperiais”. Há séculos, inclusive, um decreto imperial proibia qualquer pessoa, à exceção do imperador, de utilizar túnicas com a representação do dragão de cinco garras. Os faltosos poderiam ser condenados à morte.

Cores - As cores dos dragões chineses variam muito; os dragões do tipo Chiao, por exemplo, têm as costas listadas em verde e branco, os lados em amarelo e a barriga vermelha; outros dragões variam do verde ao dourado.

A pérola - Normalmente os dragões chineses são representados com uma pérola junto à boca, entre as garras ou sob o queixo. Aparentemente, a pérola é o elemento que lhe dá força, permitindo que eles subam aos céus. Segundo as lendas, os dragões mais velhos e experientes seriam capazes de escondê-la sob suas escamas. Há quem afirme que, simbolicamente, o dragão representa o elemento masculino – Yang – e a pérola, o feminino – Yin.

O Tigre e o Dragão – Chamam especial atenção algumas representações antigas de um dragão em combate com um tigre, geralmente atracados. Tais desenhos ganharam várias versões modernas nos últimos anos, a maioria com quase nada em comum com os originais. Ocorre que, mais que um simples combate, tal imagem remete aos 8 trigramas do I-Ching e também é considerada uma representação do Tao – o dragão é o senhor dos céus e das chuvas (Yin), enquanto o tigre é o senhor da terra (Yang).

Peixes-Dragão - Alguns dragões teriam nascido como carpas; como esses peixes saltam com extrema habilidade pelas corredeiras dos rios, acredita-se que alguns deles se transformem em peixes-dragão. Há, inclusive, um ditado chinês para indicar o sucesso de uma empreitada que fala de peixes e dragões: “A carpa atravessou o portal do dragão”.

O Dragão-Pai – Dragões machos teriam a habilidade de se acasalar com fêmeas de outras espécies, gerando animais diferentes. Por exemplo: se um dragão se acasala com uma porca, gera um elefante!

Tipos de Dragões - Há quatro tipos principais de dragões: Tien-lung, o dragão celestial, que protege os deuses; Shen-lung, o dragão espiritual, responsável  pelas chuvas e ventos;  Ti-lung, o dragão da terra, que controla os rios e as águas na Terra; e Futs-lung, o dragão dos subterrâneos, que guarda metais e pedras preciosos. Além disso, há quatro dragões ligados aos rios, conforme a região (norte, sul, leste e oeste). O comandante dos dragões que controlam os rios é o grande Chien-Tang, que possui sangue vermelho, uma juba de fogo e 900 pés de comprimento.

Os nove filhos do Dragão - Segundo uma antiga lenda chinesa, o dragão possui 9 filhos com características muito especiais. São eles Haoxian, um dragão imprudente; Ya-zi, valente e belicoso (normalmente é usado na decoração das bainhas de espadas e punhais); Chi Wen, que está sempre olhando para o horizonte (muito usado na decoração de pináculos); Pu Lao, que gosta de rugir (aparece em representações de sinos); Bixi, que gosta da companhia de outros seres (muitas vezes representado junto a animais); Qui Niu, que gosta de música e é normalmente representado em instrumentos de cordas; Suan Mi, que gosta de fumaça e fogo e é representado em queimadores de incenso; e Jiao-tu, que vive enrolado como um caracol e pode ser utilizado na decoração de portas.

A dieta do Dragão - Dragões são famintos por alimentos como bambu, leite, nata, carne de andorinha e arsênico (!). Normalmente não costumam devorar pessoas; ainda assim, a tradição diz ser arriscado andar de barco depois de ter comido carne de andorinhas. Guiados pelo cheiro, eles seriam capazes de engolir uma pessoa inteira! Outro fato interessante: segundo a tradição, em 1611 a.C. o imperador da China nomeou o primeiro “tratador de dragões do reino”, encarregado de deixar alimentos em lagoas sagradas. O cargo gozou de enorme prestígio por séculos.

Artes marciais – No século V d.C. os monges do templo Shaolin criaram um estilo de Kung Fu baseado nos movimentos do dragão. Uma lenda conta que um dragão ensinou diretamente este estilo a um dos monges mais graduados do templo. Ao lado do tigre, da garça, da serpente e do leopardo; formavam “As Cinco Bestas de Shaolin”, os cinco primeiros e principais estilos do monastério. No estilo do dragão, o praticante faz uso de combinações rápidas de ataque e defesa, com as mãos imitando as garras da lendária criatura. Em muitos movimentos deste estilo, parece que o praticante está movendo uma grande esfera em suas mãos; numa clara referência à pérola.

Fontes:

2 comentários:

Bondgirlpatthy 007 disse...

Nossa q interessante esse post do Dragão. Realmente são fascinantes. Parabéns pela didática. Bjs

Atilassauro disse...

Obrigado, querida.
Saiba que sua opinião é muito importante.
Beijos.

BlogBlogs.Com.Br